Vida de estudante de iniciação científica ( parte 3/5)

Fomos atrás de alguns alunos excepcionais que ganharam premiações devido a seus trabalhos árduos no mundo acadêmico terem sido reconhecidos.

Na Serie Vida de Estudante de Iniciação Cientifica, entrevistamos o Sérgio Coelho, ganhador da melhor Iniciação Científica no Conpeex 2015

 

 Porque seu artigo ganhou o premio de melhor IC na área de engenharias?

Na verdade, eu não sabia que ainda estava concorrendo ao prêmio. Para mim, a premiação ocorreria no próprio CONPEEX ao término de todas as apresentações. E, de qualquer forma, não escrevi o artigo pensando em ser premiado. Apenas expus os o que foi realizado na iniciação científica e os principais resultados, acatando, posteriormente, com as sugestões do professor Daniel, meu orientador.

A notícia da premiação me surpreendeu bastante. Mas foi muito legal ser reconhecido por ter realizado um trabalho de relevância. Não é um reconhecimento por ser inteligênte, por ser influente ou por ser melhor que os colegas, mas é um reconhecimento pelo trabalho e, neste quesito, eu creio que merecemos o prêmio, pois trabalhamos muito.

Nosso trabalho conseguiu abranger três grandes áreas da pesquisa em estruturas, pois realizamos, sobre os mesmos modelos de consolo de concreto, estudos teóricos-normativos, estudos experimentais físicos e estudos numéricos por modelagem computacional. Ao final do trabalho pudemos testar a validade dos modelos de previsão de resistência de consolos a partir da comparação com os resultados experimentais realizados com modelos físicos em verdadeira grandeza. Talvez, o tema pouco estudado (consolos de concreto moldados em etapa distinta do pilar) aliado a esta abrangência da pesquisa e aos resultados proporcionados foram os responsáveis pela relevância do artigo apresentado.

Porém, o mérito de tudo isso é, com certeza, do professor Daniel e da sua capacidade de planejamento das tantas atividades desenvolvidas, que sempre foram muito bem orientadas. Da minha parte, coube a aceitação do que me era proposto e o esforço para a realização, mas muitas vezes eu não tinha muita noção se poderia executar as atividades em tempo hábil e nem se estava tudo ok com o cronograma do trabalho, o que acredito ser normal, pois não temos uma visão muito ampla do que estamos estudando por grande parte da iniciação científica.

Seguem os links da entrevista:

Vida de estudante de iniciação científica ( parte 1/5)

Vida de estudante de iniciação científica ( parte 2/5)

Vida de estudante de iniciação científica ( parte 4/5)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *